domingo, 11 de abril de 2021

Preciso rever os meus conceitos?

 

Sra. Mariko Yugeta

Hoje cedo me deparei com esta imagem no Instagram do @nelson_evencio onde um senhora de 62 anos bateu o recorde mundial de uma maratona na faixa do 60 a 64 anos.

A primeira coisa que me veio a mente foi de que preciso rever os meus conceitos nos treinos da corrida.

Resolvi fazer uma pesquisa na internet sobre o assunto e localizei uma mateira num site corredoresanónimos onde ela dá o seu depoimento sobre o que fez para conseguir tal êxito.

Mas é isso mesmo? Preciso rever os meus conceitos nos treinos ou melhor, precisamos rever os nossos conceitos nos treinos?

A pergunta é apenas uma provocação, pois isso não significa de que se a Sra. Mariko Yugeta aos 62 anos correu uma maratona em 2h52min01s não significa que qualquer pessoas com idade inferior ou igual a dela será capaz de fazer a mesma façanha.

Porém o resultado serve para uma reflexão principalmente para aqueles atletas que tem bons desempenhos, são mais jovens e dedicados, mas mesmo assim não conseguem e tem dificuldades de fazerem marcas que se aproximem aos da Sra. Mariko. 

Evidente que existem "N" fatores a serem considerados, contudo o exemplo está aí.

Vale ressaltar que ela tem outras resultados relevantes num período de 3 meses e deste ano:

  • 31/01- 2:52’13” Maratona de Osaka
  • 14/03- 2:54’31” Maratona de Nagoya

Eu já fiz 11 maratonas e só na 10ª consegui fazer um sub 4h e hoje sem pretensões de fazer outra, muito embora comente com o treinador que só faria uma nova maratona, se realmente fosse umas daquelas bem TOP.

O treinamento, a preparação, tudo que envolve a participação em uma maratona, principalmente para quem que ir e fazer uma boa prova, é muito mais difícil do que a própria corrida em si.


Não tenho conhecimento de quantas pessoas que com a idade dela ou próximas obtêm excelentes resultados, porém independente da distância a que você se propõe a fazer, saiba que sem o esforço, foco e dedicação não conseguirá conquistar seus objetivos e ficarão muito mais difíceis de alcança-los.

Especificamente no meu caso e respondendo a pergunta do título, vou sim rever os meus conceitos, rever os meus esforços e dedicações nos treinamentos.

Mas não com a ideia de me tornar um Sr. Mariko, e sim de que com esta atitude poderei melhoras os meus resultados.

Que venham os treinos e a provas.

sábado, 10 de abril de 2021

Você comemora ao concluir o seu treino?

 

Certamente não sou o único, mas comemorar o final de um treino também é válido.

Geralmente guardamos as comemorações para momentos importantes, mas os treinos são fundamentais para que no dia da prova você consiga finalizar e fechar um determinando objetivo com sucesso.

Evidente que existem treinos mais valorizados e esperados que outros quando de uma preparação, contudo se você encarar o seu treinamento como uma prova, um desafio vale sim comemorar.

Quantas vezes você já se sentiu realizado e confiante após concluir um longão, ou um treino ritmado, ou um percurso novo com dificuldades novas.

Pode até acontecer que o resultado não seja aquele esperado, que fuja um pouco da planilha, ou que o seu treinador ache que poderia ser melhor, porem se você se sentiu bem e realizado, comemore.

As vezes vamos treinar enfrentando alguma adversidade, e mesmo assim tomamos a atitude de irmos fazer o treinamento.

É gratificante e por isso sempre comemoro.

Quem me conhece, talvez já tenha presenciado que ao finalizar um treino, me ver  fazendo o mesmo gesto de quando da chegada em uma corrida oficial.

O aviãozinho, imitando com as devidas proporções, o Vanderlei Cordeiro de Lima (Maratonista Olímpico).

Necessariamente não precisa chegar a este ponto, mas não deixe de valorizar o seu esforço, dedicação e emprenho.

E como ainda não temos as provas oficiais, sigo comemorando as minhas chegadas nos treinos, pois é o que tenho no momento.

Comemore, valorize, curta e se sinta feliz no seu treino também.

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Última Edição da CR - Contra Relógio

 

Não muito antigamente assim, muitos de nós corredores ficávamos ansiosos para que chegasse nas bancas a edição da CR assim como era conhecida a Revista Contra Relógio.

Lá encontrávamos muitas das informações sobre o mundo da corrida que iam desde os últimos modelos de tênis a planilhas de treinamentos, tudo que você tinha de saber ou curiosidades do esporte.

Tinha jornalistas especializados no esporte e que praticavam, o que facilitava e muito o entendimento e as necessidades dos leitores.

Tinha também um ranking onde anualmente se você estivesse enquadrado nas exigências por faixa etária e em provas oficiais selecionadas previamente pela CR, você recebia um certificado com informações de local e tempo do seu resultado.

Isso, pelo ao menos para mim era um motivo de incentivo o que ajudava a se esforçar nos treinos e no dia da prova além de você receber a medalha era de que seu tempo fosse enquadrado no requisito exigido para aquisição do seu Certificado.

Tive o privilégio de fazer parte de matéria em duas edições: em 2009 nº 190 e 2010 nº 207 o que me deixou bastante envaidecido.

Edição 190 em 2009
Matéria de Harry Tomas

Edição 207 em 2010
Matéria de Yara Achôa


Seque abaixo o link da Revista CR com o editorial disponibilizado pelo Sr. Tomaz Lourenço, editor da revista.

Editorial - Tomaz Lourenço

Agradeço a todos da revista pelas informações disponibilizadas ao decorrer deste tempo que foram fundamentais para a minha permanência e progresso neste maravilho esporte que é a corrida.

Muito obrigado!